UMA NOVA DIMENSÃO EM ELETROFISIOLOGIA

Uma jornada para um diagnóstico preciso e um fluxo de trabalho eficiente na terapia da FA

Por que a relação custo-efetividade é relevante no laboratório de EP?

Voltar para a visão geral

Por que a relação custo-efetividade é relevante no laboratório de EP?

A ablação por cateter da fibrilação atrial (FA) tem apresentado um crescimento constante nas últimas duas décadas. Segundo a Sociedade Europeia de Cardiologia (European Society of Cardiology, ESC), entre 2007 e 2016, o número de ablações da FA por milhão de habitantes aumentou em média 339% nos estados europeus membros da ESC1.

 

 

A predominância da FA nos EUA varia de 2,7 a 6,1 milhões, com uma projeção de 5,6 a 12 milhões de casos adicionais até 20502. Segundo as extrapolações de um conjunto de dados de 2004–2006, os gastos do Medicare para novos diagnósticos de FA atingiram US$ 15,7 bilhões por ano. Os custos se devem principalmente a complicações da FA, como acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca, taquicardia e infarto do miocárdio3,4.

Além disso, os custos com dispositivos e produtos descartáveis também estão aumentando5. Portanto, diminuir o tempo gasto por procedimento sem comprometer a eficácia e a segurança pode ser um bom ponto de partida para melhorar os resultados e reduzir os custos do atendimento médico.

Vantagens das estratégias rápidas de mapeamento-ablação-remapeamento

Documentações de 30 anos atrás corroboram que, na maioria dos casos, a ablação era mais econômica do que um tratamento médico de longo prazo, como propafenona, beta-bloqueadores e/ou amiodarona6. Desde os primeiros anos do uso da eletrocardiografia, novas formas de taquicardias ventriculares, bem como novas observações sobre uma diversidade de arritmias supraventriculares, distúrbios da condução atrioventricular e ritmos estimulados, foram descritas7. Concomitantemente, as tecnologias têm evoluído para tratar arritmias supraventriculares mais complexas que a FA. O remapeamento permite ao médico confirmar o impacto agudo de uma lesão no procedimento. Em arritmias atriais complexas, o remapeamento e a ablação de mais de uma deflagração levam a um melhor resultado, indicando ser necessária uma estratégia rápida de remapeamento.

 

Impacto das estratégias rápidas de mapeamento-ablação-remapeamento

Uma estratégia rápida e eficiente de mapeamento, ablação e remapeamento permite que eletrofisiologistas avaliem e identifiquem mais substratos e que analisem a eficácia do seu trabalho ao buscar lacunas. Ao usar o mapeamento de contato, uma abordagem de mapeamento-ablação-remapeamento consome muito tempo. Com as tecnologias atuais de mapeamento de contato, um mapa leva cerca de 15–20 minutos para realmente entender a arritmia. Portanto, o processo geral pode levar de 4 a 5 horas, dependendo da complexidade do caso. Em casos extremos, o mapeamento pode até ser interrompido antes que cada substrato seja descoberto, simplesmente por consumir muito tempo e sujeitar o paciente e o médico a prolongar a anestesia ou exposição à radiação (no caso de uso de fluoroscopia).

 

 

Além disso, reduzir o tempo de mapeamento, ablação e remapeamento pode reduzir significativamente os custos para o prestador de serviço e permitir o tratamento de mais pacientes que precisam de ablação. Por essa razão, um sistema rápido e eficiente como o sistema AcQMap é particularmente útil em casos complexos; em vez de 15–20 minutos, ele permite que os eletrofisiologistas realizem o remapeamento das áreas em apenas 1 a 3 minutos, reduzindo significativamente o tempo total necessário por paciente. O uso desta tecnologia inovadora também pode reduzir custos ao simplificar este procedimento. Durações previsíveis de procedimentos também ajudam a reduzir o tempo de espera dos procedimentos e evitam longas paradas e subutilização do laboratório, o que, por sua vez, também gera economia de custos.

 

Redução de tempo médio de procedimento para aproximadamente uma hora

Com as novas tecnologias baseadas em mapeamento por densidade de carga sem contato, procedimentos que antes eram muito demorados podem ser executados com maior rapidez. Por exemplo, ablações pós-FA de taquicardia atrial agora podem ser realizadas com um tempo médio de procedimento de 56,4 ± 12,1 minutos com o sistema AcQMap®8. O Real-World All-Comers DISCOVER Registry demonstrou um tempo médio total para diagnóstico e uma primeira ablação de 8 minutos usando o modo SuperMapTM do sistema, o que permite o mapeamento completo das câmaras de múltiplos ritmos estáveis. Um estudo da Bélgica destacou que o mapeamento com o sistema AcQMap reduz significativamente o tempo total de procedimentos complexos em 75 a 86% em comparação com estudos anteriores8.

CONSULTE O COMUNICADO DO PROF. DR. MEYER:

Minimizando a necessidade de outras intervenções

Obviamente, um tratamento não deve ser apenas rápido, mas também eficaz para evitar a recorrência da FA e, dessa forma, minimizar a necessidade de outras intervenções. Um estudo prospectivo de um único grupo analisou pacientes com FA persistente nos quais as veias pulmonares foram isoladas e os alvos fora das veias pulmonares foram identificados e eliminados com o sistema AcQMap. Após 12 meses, a ausência de FA, com ou sem medicamentos antiarrítmicos, em um único procedimento foi de 72,5% e, após 1 ou 2 procedimentos, a ausência de FA foi de 93,2%9.

 

O mesmo estudo indicou que atingir vários substratos durante um procedimento pode aumentar a taxa de sucesso geral. Ao realizar a ablação de 2 dos 3 substratos durante um procedimento, a probabilidade de um ritmo sinusal em 12 meses foi 2,8 vezes maior, e ao realizar a ablação de 3 a 4 substratos focais, rotacionais ou irregulares, a probabilidade de um ritmo sinusal após 12 meses foi 9,4 vezes maior1,2.

Tempos de procedimento mais curtos e taxas de sucesso mais altas indicam menos anestesia geral (AG) e maior qualidade de vida para os pacientes, reduzindo ainda mais os custos e neutralizando possíveis preocupações dos pacientes, que poderiam ficar mais preocupados com procedimentos que exigissem AG.

Para fornecer aos eletrofisiologistas a tecnologia mais inovadora para as estratégias de mapeamento-ablação-mapeamento mencionadas anteriormente, a Acutus Medical e a BIOTRONIK uniram forças. Juntas, as duas empresas oferecem várias novas tecnologias – dentre elas, técnicas inovadoras de mapeamento sem contato, reconhecimento automatizado de padrões e fluxos de trabalho otimizados. Isso permite aos médicos realizar rapidamente e com precisão o mapeamento, ablação e remapeamento, resultando em uma rápida visualização, detecção e ablação de qualquer arritmia atrial.

Fontes

  1. Raatikainen MJP et al. A Decade of Information on the Use of Cardiac Implantable Electronic Devices and Interventional Electrophysiological Procedures in theEuropean Society of Cardiology Countries: 2017 Report from the European Heart Rhythm Association. Europace (2017)19, ii1–ii90.
  2. Chang AY et al. Evaluating the Cost-effectiveness of Catheter Ablation of Atrial Fibrillation. Arrhythm Electrophysiol Rev. 2014 Nov; 3(3): 177–183.
  3. Lee W et al. Direct treatment cost of atrial fibrillation in the elderly American population: a Medicare perspective. J Med Econ. 2008;11:281–98.
  4. Sullivan E et al. Washington DC, US: Avalere Health; 2010. Health services utilization and medical costs among Medicare atrial fibrillation patients.
  5. Wesley C. Change and Challenge: Understanding the Finances of the Electrophysiology Lab. EPLabDigest. 2019;19(10). www.eplabdigest.com/change-and-challenge-understanding-finances-electrophysiology-lab.
  6. Kertes PJ et al. Cost effectiveness of radiofrequency catheter ablation in the treatment of symptomatic supraventricular tachyarrhythmias. Aust N Z J Med. 1993;23(4):433-6.doi: 10.1111/j.1445-5994.1993.tb01458.x.
  7. Stern S. Electrocardiogram: still the cardiologist's best friend. Circulation. 2006;113(19):e753-e756. doi:10.1161/CIRCULATIONAHA.106.623934.
  8. Ramak R et al. Novel noncontact charge density map in the setting of post-atrial fibrillation atrial tachycardias: first experience with the Acutus SuperMap Algorithm. JICE. 2020. doi.org/10.1007/s10840-020-00808-9.
  9. Willems S et al. Targeting Nonpulmonary Vein Sources in Persistent Atrial Fibrillation Identified by Noncontact Charge Density Mapping: UNCOVER AF Trial. Circ Arrhythm Electrophysiol. 2019;12 (7):1-12.

Contato

Quer saber mais sobre como podemos ajudá-lo a fornecer o mais alto padrão de atendimento aos pacientes? Entre em contato:

BIOTRONIK_white